Brasil vende mais carne aos árabes

22 de agosto de 2016

As exportações brasileiras de carne bovina aos países árabes somaram US$ 96,73 milhões em julho, um aumento de 13,77% em relação ao mesmo mês do ano passado, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) compilados pela Câmara de Comércio Árabe Brasileira.

Destaque para a Arábia Saudita, que importou o equivalente a US$ 10 milhões e já ocupa o segundo lugar entre os mercados árabes e o 10º entre os destinos globais das exportações brasileiras do produto, segundo números divulgados nesta quarta-feira (10) pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec). O país voltou a comprar carne do Brasil recentemente, após um embargo de três anos.

Cresceram também os embarques ao Líbano, Argélia, Jordânia, Líbia e Catar.

No caso do Egito, principal mercado do Brasil entre os árabes e o segundo no mundo, as exportações avançaram 8% em volume em julho, sobre o mesmo mês de 2015, para 18,3 mil toneladas. As receitas com as vendas, porém, recuaram 3,21% na mesma comparação e ficaram em US$ 57,8 milhões.

No total, o Brasil exportou US$ 423 milhões em carne em julho, o equivalente a 109,4 mil toneladas, segundo a Abiec.

No acumulado de janeiro a julho, as exportações de carne bovina ao mundo árabe somaram quase US$ 660 milhões, um crescimento próximo a 10% em relação ao mesmo período do ano passado.

O Egito comprou o equivalente a US$ 399 milhões, um aumento de 8% sobre os sete primeiros meses de 2015. Neste caso, o mercado egípcio ficou em terceiro lugar entre os destinos globais do produto brasileiro, atrás de Hong Kong e da União Europeia.

A Arábia Saudita aparece mais uma vez em 10º entre os mercados mundiais, com importações de quase US$ 67 milhões. Vale lembrar que o país do Golfo não importou carne do Brasil de janeiro a julho do ano passado.

Outras nações árabes que ampliaram suas compras no acumulado do ano foram Catar, Omã e Ilhas Comores.

O Brasil embarcou no total 845 mil toneladas de carne nos sete primeiros meses de 2016, um avanço de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. As receitas somaram US$ 3,3 bilhões, um recuo de 1% na mesma comparação, de acordo com a Abiec.

Fonte: Agência de Notícias Brasil-Árabe